Esta Matéria não tem vídeo
Deputado estadual Neno Razuk (PL-MS)


Deputado estadual Neno Razuk (PL-MS)
Esta Matéria não tem 
vídeo

 

Deputado liberal

reforça necessidade de ações
afirmativas para autistas no MS


Mato Grosso do Sul - O deputado estadual Neno Razuk (PL-MS) reforçou mais uma vez, na Assembleia Legislativa do MS, a necessidade de ações afirmativas para autistas do Estado e o cumprimento da legislação vigente para que as políticas públicas em prol das pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) sejam eficazes.

“Estamos em 2022 e Mato Grosso do Sul ainda não tem dados específicos de crianças e adolescentes com autismo. Um novo estudo internacional apontou que no mundo, uma em cada 44 crianças aos 8 anos de idade é diagnosticada com o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA)”, pontuou o parlamentar. “Esses são números com dados de 2018 que representam mais um aumento de 22% em relação ao estudo anterior. Numa transposição dessa prevalência (de 2,3% da população) para o Brasil, teríamos hoje cerca de 4,84 milhões de autistas no país”, acrescentou o liberal.

“Porém, ainda não temos números de prevalência de autismo no Brasil nem em Mato Grosso do Sul. E precisamos continuar agindo. Em 2018 foi sancionada pelo Governador Reinaldo Azambuja a lei nº 5.192, que cria o Cadastro Estadual da Pessoa com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), um cadastro de grande importância para que sejam desenvolvidas políticas públicas para os autistas. Por isso é importante o debate”, afirmou Razuk.

Ele explicou também, sobre algo que parece simples, mas é muito importante para a mensuração dos dados. “Desde 2020 as pessoas com Transtorno do Espectro Autista podem obter a inclusão dessa condição no Registro Geral (RG) da carteira de identidade para garantir prioridade no atendimento e no acesso aos serviços públicos e privados, em especial, nas áreas de saúde, educação e assistência social. O documento pode ser feito nos CRAS (Centro de Referência em Assistência Social) de cada cidade”, ressaltou.

Sobre o autismo

O TEA envolve um grupo de doenças do neurodesenvolvimento, de início precoce (antes dos 2 ou 3 anos de idade), e que se caracteriza por dois aspectos principais, que são a dificuldade de interação social e a dificuldade de comunicação. Uma criança neurotípica, ao contrário, que não possui problemas de desenvolvimento neurológico, começa a interagir com outras pessoas em torno dos 4 a 6 meses de idade.

A avaliação de pessoas com suspeita de Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) deve ser ampla e, sempre que possível, multiprofissional. Isso é necessário, pois o TEA afeta diversas áreas e, portanto, abrange a atuação profissional de especialistas de inúmeros campos da área da saúde e educação. Com o objetivo de uma unificação dos dados e a promoção de uma avaliação rigorosa e sistemática, sugere-se a utilização de instrumentos padronizados para a avaliação do comprometimento e nível funcional do indivíduo que possibilitem a formulação de um Projeto Terapêutico Singular (PTS). É de responsabilidade do profissional a escolha dos instrumentos que melhor se adequem a cada caso, no entanto, cada instrumento tem a sua especificidade.

Neno explica que durante seu mandato, em conjunto com algumas entidades, apresentou diversas leis que criam políticas públicas para atendimento, como por exemplo: a aplicação de questionário M-Chat (Modified Checklist for Autism in Toddlers) nas unidades de saúde do Estado que é um dispositivo usado para que, durante esse período de um ano e seis meses até os dois anos, onde o bebê começa a apresentar mudanças na rotina e pequenos sinais que podem ser identificados com TEA (Transtorno de Espectro Autista), sendo instrumento muito importante para o diagnóstico precoce.

“E ampliando todo esse trabalho, conquistamos a aprovação da lei que cria o Projeto de Programa de Diagnóstico Precoce de Autismo aprovada na Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Reinaldo Azambuja”.

De acordo com a publicação, com a sanção da lei será obrigatório o atendimento multiprofissional às famílias, a fim de garantir o tratamento de forma antecipada para as pessoas com TEA. Além disso, há a proposição de campanhas de conscientização nas unidades de saúde, levando em consideração que muitos pais e responsáveis demoram a identificar TEA nas crianças e os programas serão feitos de forma acolhedora, primeiro o entendimento, depois direcionando ao tratamento específico para pessoas com autismo.

“E são essas ações que contribuem para que as políticas públicas alcancem o maior número de pessoas possíveis e num futuro próximo usaremos essa tribuna para finalmente falarmos que Mato Grosso do Sul tem números sobre o autismo e que todos são atendidos dentro das ações e diretrizes existentes por meio desses programas”, finalizou Razuk.

Fonte: https://www.al.ms.gov.br/Noticias/121931/neno-razuk-reforca-necessidade-de-acoes-afirmativas-para-autistas




Provérbios LIBERAR O CMOMÉRCIO DE ARMAS DE FOGO

 
   
 
 
 
 
© - 2019 www.partidoliberal.org.br - Todos os direitos reservados
Tel.: - (61) 32029922
SHS Quadra 06 Bloco "A" Conjunto "A" Sala 903
Centro Empresarial Brasil 21 Asa Sul - CEP: 70316-102 Brasília - DF
 
Brasília, 26/05/2021 - PL-TV: O Rio em mãos do bem - Entrevista Cláudio Castro

Brasília, 18/01/2022 - PL-TV: Projeto de Altineu Côrtes propõe condições mínimas de trabalho para entregadores de aplicativos Brasília, 28/12/2020 - PL-TV: Portinho é convidado a assumir Liderança do PL no Senado
Nova Presidente do PL Mulher
Presidente do Partido Liberal, Tadeu Candelária (PL-SP)
Veja aqui todos os nossos vídeos e nossas reportagens

Secretaria de Comunicação do Partido Liberal
FICHA DE FILIAÇÃO EM PDF Deputados Federais do Partido Liberal da 56ª Legislatura
Senadores do Partido Liberal Veja todas Notícias no Facebook Veja nossos Vídeos no Youtube
  <area shape= Veja nossos Vídeos no Youtube Veja nossos Vídeos no Youtube veja as notícias no Twitter
veja as notícias no Instagram