Esta Matéria não tem vídeo
Deputada federal Flávia Arruda (PL-DF)
Deputada federal Flávia Arruda (PL-DF)
Esta Matéria não tem 
vídeo

 

“Sou cristã, defendo a vida.

Mas o que está consagrado na lei, em caso de estupro e risco
para a mãe, deve ser respeitado”, diz Flávia Arruda


Brasília - Em entrevista ao jornal Correio Braziliense, na edição da última quarta-feira, 19, a deputada federal Flávia Arruda (PL-DF), comentou a interrupção da gravidez de uma menina de 10 anos e disse ser a favor da vida, mas, que neste caso de estupro, a lei tem de ser respeitada.

Recentemente veio à tona a história de uma menina de 10 anos que engravidou após ser estuprada pelo tio, no Espírito Santo. Na última segunda-feira, 17, a justiça autorizou o aborto.

Ao ser questionada sobre qual crime seria mais grave; o estupro ou ter um bebê aos 10 anos fruto do mesmo, a liberal foi objetiva. “O crime é o estupro. O problema que tem de ser enfrentado é que, a cada quatro horas, uma menina entre 9 e 14 anos é estuprada no Brasil. Essa é a questão fundamental que tem de ser enfrentada. Como o Estado pode proteger essas crianças e quais as políticas públicas para combater esse crime hediondo. E a segunda violência contra aquela menina, ao condenar o aborto para evitar um parto que poderia matá-la?”, indagou.

Apesar de se tratar de um tema delicado para se tratar no âmbito político e social, tendo em vista as mais variadas opiniões, a parlamentar defendeu a bandeira cristã, mas, reconheceu que no caso da criança violentada desde os 6 anos de idade, a interrupção da gestação deve ser respeitada, pois está amparada por lei.

“Sou cristã, defendo a vida. Mas o que está consagrado na lei, em caso de estupro e risco para a mãe, deve ser respeitado. É um absurdo polarizar esse caso e ainda expor essa criança a uma segunda agressão. O aborto nesse caso está previsto no Código Penal. Há que se cumprir a lei, nesse caso salvando uma menina de 10 anos de idade”, alegou.

Ainda durante a entrevista, Flávia Arruda aproveitou para esclarecer em que situações o aborto é autorizado pela justiça, e questionou sobre a falta de respeito para com opiniões diversas em nosso País.

“A lei brasileira garante como direito a essa mulher nos casos de estupro, anencefalia e risco de morte para a mãe. Mas o foco da discussão está equivocado. O problema real a ser enfrentado é o abuso sexual contra crianças. O país caminha para uma radicalização em que ninguém respeita mais a opinião de quem pensa diferente. É um absurdo polarizar esse caso e ainda expor essa criança a uma segunda agressão. O aborto nesse caso está previsto no Código Penal. Há que se cumprir a lei, nesse caso salvando uma menina de 10 anos de idade”, finalizou a liberal.



Fonte: Correio Braziliense




Provérbios LIBERAR O CMOMÉRCIO DE ARMAS DE FOGO

 
   
 
 
 
 
<
© - 2019 www.partidoliberal.org.br - Todos os direitos reservados
Tel.: - (61) 32029922
SHS Quadra 06 Bloco "A" Conjunto "A" Sala 903
Centro Empresarial Brasil 21 Asa Sul - CEP: 70316-102 Brasília - DF
 
       
© - 2019 www.partidoliberal.org.br - Todos os direitos reservados

Site e Conteúdos Desenvolvidos, Produzidos e sob Responsabilidade da LEAD - Produções Artísticas Comunicação & Marketing
Tel.: (61) 3202-9922
SHIN CA 09 Lt. 16 Sala 115 -  Edf. Greeen Hills
Lago Norte - CEP: 71503-509
TV-PR: Tiririca está entre os 10 melhores deputados segundo pesquisa
TV-PL: Líder Liberal rechaça tese do "toma lá dá ca" em entrevista 
Manual de Prestação de Contas da Campanha eleitoral de 2018
Nova Presidente do PL Mulher
Presidente do Partido Liberal, Tadeu Candelária (PL-SP)
Veja aqui todos os nossos vídeos e nossas reportagens

Secretaria de Comunicação do Partido Liberal
Deputados Federais do Partido Liberal da 56ª Legislatura
Senadores do Partido Liberal Veja todas Notícias no Facebook Veja nossos Vídeos no Youtube
  <area shape= Veja nossos Vídeos no Youtube Veja nossos Vídeos no Youtube veja as notícias no Twitter
veja as notícias no Instagram